sábado, 20 de agosto de 2011

Como um anjo

''Ela acreditava em anjos e, porque acreditava, eles existiam.''
                                                       Clarice Lispector. 



Parecíamos tão bem, eu e você. As palavras pareciam mais doces quando saíam da sua boca, não éramos perfeitos, apenas apaixonados. Telefonemas tornaram-se constantes, sua voz ecoava em minha mente todas as noites. Em cada sonho repetia que me amava, lembre-se, em sonhos apenas. Eu era boba, confesso, nunca havia amado antes, afinal, eu nunca soube o que realmente era o amor, apenas dava uma de apaixonada.
Suas palavras soavam bem, mas depois o ‘’eu te amo’’ tornou-se tão clichê assim como quem diz ‘’eu gosto de você’’. Comecei então a acreditar em anjos, mas esses não possuíam asas, apenas bondade. Você era um deles, sua função era cuidar de mim e do meu coração, que por fim, já estava em suas mãos. Nada foi feito, você me deixou. Deixou-me amargurada, iludida e se foi sem ao menos desejar-me felicidade, afinal, minha felicidade era ao seu lado, apenas. E por ter sido anjo, passei a acreditar nessa tal existência e espero que esses querubins tragam, novamente, o meu coração, afim de que eu cuide e entregue para alguém que possa dar o real valor que ele mereça. 

4 comentários:

Lara Oliveira. disse...

Tu escreve bem demais menina, digo sério mesmo, teu cantinho aqui é tão doce que não dá vontade de sair nunca mais!

Bárbara disse...

Muito lindo seu post, você escreve muito bem.
www.aurevoirsaudade.blogspot.com

Luna Sanchez disse...

Quando eu deixar de acreditar em anjos, morro.

Um beijo.

Di Ferrero Forever disse...

Awwwn, muito lindo esse texto *-*